Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
especiais
Resident Evil: Revelations 2

Resident Evil HD Remake + Revelations 2

Passado e futuro juntos, numa antevisão dupla.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Resident Evil HD Remake

Resident Evil é um dos grandes clássicos do Survival Horror, e conta com inúmeras sequelas e variações. Os últimos anos, porém, apontaram a uma verdadeira revolução nas bases e no conceito da série. O Resident Evil de hoje é um Resident Evil muito diferente daquele que conhecemos no início, e isso não é novidade nenhuma, mas num evento recente da Capcom - onde jogámos uma versão remasterizada do excelente remake de Gamecube e o novo Resident Evil: Revelations 2 - essas diferenças tornaram ainda mais evidentes.

Os anúncios de versões remasterizadas de jogos antigos são por vezes recebidos com alguma resistência por parte dos jogadores, mas não foi isso que se passou com Resident Evil HD Remake. Até agora, Resident Evil Remake foi um exclusivo Gamecube (e mais tarde Wii), o que significa que muitos jogadores não tiveram a oportunidade de jogar esta gema, nem tão pouco Resident Evil Zero (esperemos que siga o mesmo caminho que o Remake). Assim, esta será para muitos jogadores a oportunidade de experimentarem o Remake pela primeira vez.

Resident Evil (Remake) foi lançado em 2002, exclusivamente para Gamecube, e foi uma revisão total do Resident Evil original, lançado em 1996. A história, a jogabilidade e o conceito eram maioritariamente os mesmos, mas o grafismo e o som foram refeitos, além de terem sido introduzidos alguns elementos novos, com os Crimson Zombies. Este Resident Evil usa também ângulos fixos de câmara, com cenários formados por imagens pré-renderizadas e personagens com modelos 3D. Agora a Capcom vai lançar Resident Evil HD Remake, que é uma versão desse jogo de Gamecube com uma resolução superior, para PS3, PS4, Xbox 360, Xbox One e PC.

Este Resident Evil é um jogo de terror, com grande foco em puzzles e suspense. No entanto, ao experimentarmos a nova versão HD Remake, não sentimos uma sensação de suspense, mas antes de familiaridade e nostalgia. Já passámos por isto, mas queremos claramente repetir a aventura. O jogo inclui ainda a opção original de 4:3, mas também pode ser jogado jogar a 16:9, e neste formato, HD Remake tem um aspeto impressionante.

Existia algum receio de que as texturas não estivessem ao nível que as resoluções de alta definição exigem, mas as nossas preocupações desapareceram depois de explorármos a mansão numa televisão de 50 polegadas. Sim, é verdade que as personagens - Jill e Chris - não estão bem ao nível do que se faz hoje em dia (podem jogar com as versões originais, ou com as versões de Resident Evil 5), mas os ambientes têm excelente aspeto. A banda sonora e os efeitos pareceram também estar a muito bom nível, e de repente, estamos a adorar revisitar o Remake de Resident Evil.

Resident Evil: Revelations 2
Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2

Durante uma sessão onde encontrámos zombies, explorámos os mapas da mansão e partimos estátuas para reaver gemas, experimentámos os dois tipos de controlo disponível. Curiosamente, o esquema original (cima avança, baixo recua, esquerda e direita viram) ainda é o que nos parece mais natural para este tipo de jogo. O esquema mais atual (andam na direção que carregam) pode ser um confuso, sobretudo porque os ângulos da câmara são fixos.

Mesmo entre o original de PSOne e o Remake de Gamecube, existem novidades. Secções inteiras da mansão foram redesenhadas, enquanto que outras localizações, inimigos e puzzles foram introduzidos. Tal como acontecia no original, vão encontrar becos sem saída com alguma frequência, ora porque falta uma chave ou uma gema ou outro objeto necessário para progredir.

Decidimos não continuar muito mais tempo com o HD Remake, não só porque o tempo exigia que concentrássemos atenções em Revelations 2, mas também porque queremos deixar o resto para quando pudermos explorar a mansão à vontade. O velho sentimento de querer ficar até de madrugada a jogar, no escuro e de fones, reacordou por completo. É o tipo de jogo que implora a uma boa sessão de jogo durante o fim de semana, algo que temos toda a intenção de realizar.

Resident Evil: Revelations 2

Resident Evil: Revelations 2

Este novo jogo será lançado nas plataformas digitais, em formato episódico, e só mais tarde irá chegar às lojas como um produto completo. Vão voltar a assumir o papel de Claire Redfield, acompanhada pela estreante Moira Burton, filha de Barry (antigo colega de Chris e Jill, nos S.T.A.R.S. originais).

Embora existam duas personagens, só existe uma campanha, e o par está estruturado de forma a que as habilidades de ambas se complementem. Para alternarem entre as duas, é tão simples como carregar num botão. Não existe suporte para jogabilidade online, mas podem desfrutar de um modo cooperativo local, que funciona em sistema de ecrã dividido. Cada personagem tem um sistema de inventário independente, embora possam dividir os itens como bem entenderem.

Claire é perita em armas de fogo - em pouco tempo tinhámos uma pistola e uma caçadeira - mas o seu ataque com facas é muito fraco. Clarie também consegue desviar-se dos ataques com alguma facilidade. Quanto a Moira, recusa-se a carregar armas de longo alcance (ainda não nos foi explicado porquê). Em vez disso, cabe-lhe a tarefa de carregar a luz. Parece uma situação ingrata, mas se focarem a luz na face dos inimigos, vão cegá-los temporariamente, dando mais tempo de resposta a Claire. Também existem muitos objetos escondidos no escuro que Moira pode descobrir.

Moira tem ainda acesso a um pé-de-cabra, com o qual consegue atordoar os inimigos, ou se estiverem no chão, eliminá-los. Pela amostra da demo, Revelations 2 é muito focado na ação, embora as munições continuem escassas. Terão de alternar entre as duas para encontrar uma forma eficaz de lidar com o problema.

Esta não é a primeira vez que Resident Evil inclui duas personagens no ecrã em simultãneo, mas adotou uma nova fórmula para resolver alguns dos problemas que isso levantou no passado. Enquanto estão a jogar como Claire, Moira é virtualmente invencível, no entanto, se estiverem a jogar como Moira, Claire pode ser derrubada (porque está equipada com armas de fogo). Isto quando estão a jogar com a inteligência artificial. No modo cooperativo, ambas estão sempre vulneráveis.

Resident Evil: Revelations 2

A secção que jogámos era bastante linear. Claire acordou numa cela de uma prisão e partiu à procura de Moira, para que ambas possam abandonar as instalações - isto enquanto tentam descobrir como foram ali parar e quem está por trás da operação. Curiosamente, em contraposto com o HD Remake, as personagens de Revelations 2 apresentam impressionante qualidade gráfica, mas os cenários parece desinspirados. Não parece de todo que está a correr numa PlayStation 4.

Não podemos disfarçar algum desapontamento pelo grafismo banal de Resident Evil: Revelations 2. Sim, ainda faltam vários meses até ao lançamento, mas nada no ambiente - tanto a nível técnico, como de estilo artístico - reclama atenção.

Existe outro elemento que, esperamos, poderá influenciar mais o jogo no futuro - as duas personagens têm pulseiras eletrónicas no pulso. Uma voz, nos altifalantes, informa as duas raparigas que as pulseiras reagem às emoções da pessoa, em particular, o medo. De que forma isto irá afetar a jogabilidade, não sabemos, mas existe potencial para a Capcom fazer aqui algo interessante.

Resident Evil: Revelations 2

Como já foi referido, a jogabilidade inclina-se mais para a ação do que para a exploração ou puzzles. Existem alguns, claro, mas é tudo muito simples e facilmente ultrapassado. Nada que já não tenhamos feito antes num Resident Evil, e sem qualquer sentido de exploração. Está tudo muito evidente e à mostra para que os jogadores encontrem tudo rapidamente e sem problemas.

Pelo menos a ação parece ter qualidade. Os Afflicted, como são conhecidos os novos inimigos, são restos de experimentações. Com forma humanóide, estes seres marcados e mutilados vão atacar-vos ao primeiro sinal. Não são particularmente fortes e a ameaça surge sobretudo dos números que formam em conjunto. O jogo tem um ritmo muito forte, se calhar ainda mais que Resident Evil 6, mas só jogámos uma secção e seria bom que o jogo tivesse algumas secções mais lentas, para equilibrar o ritmo.

É difícil não pensar em The Last of Us assim que começamos a jogar Revelations 2. As acções cooperativas (Claire vai ajudar Moria a subir para plataformas superiores, e depois terão de encontrar rotas alternativas) são o elemento comum mais evidente, mas o próprio combate, entre outros pormenores, parecem inspirados pelo jogo da Naughty Dog. Não sabemos, contudo, se essa comparação será muito favorável ao jogo da Capcom.

Resident Evil: Revelations 2

Assim, numa tarde, tivemos a oportunidade de experimentar dois sabores muito diferentes de Resident Evil. Ainda é cedo para classificar os dois jogos, mas de momento, o nosso favoritismo recai totalmente para o lado do HD Remake. Gostámos do primeiro Revelations, quando saiu para a Nintendo 3DS, mas a sequela parece diferente, e não necessariamente melhor. Teremos de jogar com maior cuidado os dois jogos, mas questionamos (novamente) se a direção que Resident Evil tomou nos últimos anos, e que aparentemente veio para ficar, é de facto a melhor.

Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2
Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2
Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2
Resident Evil: Revelations 2Resident Evil: Revelations 2

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte