Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Gamereactor
análises
Monster Hunter Rise

Monster Hunter Rise - Análise PC

Depois de vários meses como um exclusivo Switch, Rise chegou ao PC com vários melhoramentos.

HQ
HQ

Embora Monster Hunter Rise seja inegavelmente um título de grande qualidade, sempre ficou evidente que o facto de estar numa plataforma como a Nintendo Switch impôs várias limitações técnicas ao jogo. Sim, funciona bem na consola, e ter a possibilidade de jogar um título como Rise em qualquer lado é um excelente bónus, mas olhando para o que está a ser feito nas outras plataformas, com grafismo muito superior e jogabilidade a 60 frames por segundo, começa a ser muito limitativo ver alguns títulos como Rise numa plataforma como a Switch. Estávamos por isso curiosos para ver esta versão PC, onde essas restrições técnicas não estão evidentes.

Assim, deixamos aqui sobretudo as nossas impressões desta versão PC. Para um olhar mais profundo a outros elementos, como o design, a estrutura, e a história, aconselhamos a espreitar a nossa análise ao lançamento original.

https://www.gamereactor.pt/monster-hunter-rise-analise/

Publicidade:

Uma das melhores vantagens desta versão de PC é o facto de não estar bloqueada a 30 frames por segundo. Isso é o máximo do que a versão Switch consegue alcançar, mas no PC pode chegar a 60 frames por segundo e até ultrapassar isso, dependendo da sua máquina, e isso melhora significativamente a experiência de jogo. Verdade seja dita que testámos o jogo num PC super-artilhado, com uma RTX 3090 e um processador i9, mas não é um jogo muito exigente a nível técnico.

Ora, a diferença entre a versão Switch e a versão maximizada no PC é tremenda. A jogabilidade é muito mais fluída, a definição é superior, e o mundo está bastante mais detalhado. Desde a qualidade das texturas aos reflexos da iluminação, passando por outros efeitos gráficos e maior detalhe na imagem ao mesmo tempo, existem óbvias melhorias nesta versão. Aliás, o grafismo é tão melhor que curiosamente até abre os olhos a alguns defeitos que passaram despercebidos na versão Switch.

Monster Hunter RiseMonster Hunter Rise

Estamos sobretudo a falar da jogabilidade e do combate. Quando estamos a jogar num ecrã pequeno, a 30 frames por segundo, Rise parece uma experiência construída à medida e completa. Contudo, ao melhorarmos significativamente o desempenho do jogo, é possível ver algumas fendas e falhas na jogabilidade. O combate, por exemplo, parece lento e sem bom tempo de resposta, sendo difícil responder aos ataques dos monstros, o que é evidenciado pela maior fluidez de movimento e animações.

Publicidade:

Isto é algo que se pode destacar ainda mais dependendo do seu equipamento. Armas mais pesadas, como Great Swords e Hammers, parecem rígidos de usar, especialmente quando está a enfrentar criaturas mais ágeis. Pode parecer uma crítica estranha, mas quando está a jogar uma versão do jogo que responde muito melhor, torna-se ainda mais evidente a diferença entre armas rápidas e lentas. As lâminas duplas e o equipamento mais rápido aliviam esse problema significativamente, desde que não esteja a jogar com rato e teclado.

É que se com um comando os controlos parecem equilibrados e ajustados, tudo encaixadinho para funcionar com um número reduzido de botões, na versão de teclado a Capcom optou por dividir todas as ações por teclas diferentes, tornando Rise quase numa espécie de MMO em termos de número de ações e teclas. É possível jogar com rato e teclado, e apreciamos a alternativa, mas Monster Hunter Rise é um jogo que funciona muito melhor com um comando.

Dependendo da sua máquina, é inegável que a versão PC de Monster Hunter Rise é a versão definitiva do jogo, superando com larga margem a versão Switch. O grafismo é muito superior, a jogabilidade é mais fluída, e os tempos de loading são drasticamente inferiores. Isto, claro, se tiver um PC razoável à medida do jogo.

Monster Hunter World talvez seja uma opção superior no PC, mas Rise é também um excelente capítulo da saga. Já o era na Switch, e agora reforçou esse estatuto com uma versão PC de qualidade. Felizmente vão longe os tempos das conversões terríveis da Capcom para o PC, já que existe aqui um trabalho de grande qualidade e atenção. Um bom PC, com um bom comando, é a melhor forma de jogar Monster Hunter Rise.

Publicidade:
HQ
Monster Hunter Rise
Monster Hunter RiseMonster Hunter RiseMonster Hunter Rise
08 Gamereactor Portugal
8 / 10
+
Visualmente é muito superior à versão Switch. Jogabilidade mais fluída. Loadings muito mais rápidos.
-
Controlos com rato e teclado são terríveis. Desempenho superior faz pouco para melhorar um ritmo algo lento.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

0
Monster Hunter RiseScore

Monster Hunter Rise

ANÁLISE. Escrito por Ricardo C. Esteves

Depois da ausência de Monster Hunter World, a série icônica da Capcom está de volta à Nintendo Switch.



A carregar o conteúdo seguinte