Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
Início
análises
Ion Fury

Ion Fury

Um novo jogo de ação na primeira pessoa que parece um primo afastado do clássico Duke Nukem 3D.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Duke Nukem é uma série que não envelheceu com graça, perdida entre projetos que demoraram uma eternidade e jogos que saíram demasiado tarde e fizeram demasiado pouco. Mas ninguém pode tirar o título de "clássico" ao velhinho jogo de Duke Nukem 3D nem ignorar o impacto que ele teve no género dos jogos de ação na primeira pessoa. Irreverente, absurdo, e exagerado, Duke Nukem 3D levou tudo à sua frente e sem pedir desculpas por nada.

Ion Fury é um jogo moderno que segue um traço muito semelhante ao de Duke Nukem 3D.

Neste jogo vai assumir o controlo de Shelly "Bombshell" Harrison, enquanto defende as ruas de NEO DC do terrível culto do Dr Jadus Heskel e as suas criaturas. Tanto o grafismo, como a jogabilidade, são inspirados por jogos clássicos de ação na primeira pessoa, numa experiência que transborda nostalgia a cada oportunidade que tem. A premissa é muito simples: matar quase tudo o que mexe com um vasto arsenal de armas, fazendo pequenos intervalos para encontrar cartões magnéticos que abram portas e algumas áreas secretas. Duke Nukem, Doom, Wolfenstein... é dentro desse estilo.

Esse 'estilo' não é um acidente, já que além das escolhas artísticas, Ion Fury usa o Build Engine, que é exatamente o mesmo motor que foi usado em 1996 para criar Duke Nukem 3D. Isto significa que, embora o jogo funcione em 3D, vários elementos estão representados em 2D, como os inimigos, por exemplo. Como é óbvio, o impacto inicial não é o mais simpático, já que o jogo parece naturalmente datado, mas depois de nos habituarmos, chegámos à conclusão que o Build Engine foi mesmo a melhor escolha para este tipo de experiência.

As comparações com Duke Nukem não se ficam por aqui, já que a protagonista é tão irreverente e convencida como o próprio Duke. É difícil não ser conquistado pelas suas piadas foleiras, e isso deve-se não só à escrita do guião, mas também ao desempenho da atriz Valerie Michelle Arem. Ao contrário de Duke Nukem 3D, contudo, as muitas referências, tanto ao nível de comentários, como de elementos visuais, são modernas e adaptadas à realidade de hoje. Só temos pena que não exista maior variedade de comentários, porque eventualmente começam a tornar-se repetitivos, sobretudo os que são ditos pelos inimigos.

Ion Fury

Felizmente não falta variedade em termos de armas e oponentes para desbastar. De revólveres enormes para desfazer aranhas com cabeças, a metralhadoras para desfazer cultistas em chamas, além de uma 'besta' com flechas para perfurar uma centopeia, vai encontrar de tudo um pouco em Ion Fury.

Por muito que nos tenhamos divertido com este jogo clássico, existem alguns elementos menos positivos de que temos de falar. A jogar na PS4 verificámos algumas quebras de fluidez e paragens, o que é particularmente estranho considerando que tecnicamente é um jogo que requer pouquíssimos recursos. Os comandos também requerem um período de adaptação, sobretudo vindo de jogos modernos do género. Não existe um grande grau de assistência à mira, o que associado a um valor bastante sensível de movimento para o analógico direito, causou-nos alguma frustração nos primeiros momentos. Eventualmente conseguimos ultrapassar isso, mas não foi fácil. Para terminar, não podemos deixar de lamentar a ausência de qualquer tipo de experiência multiplayer. O tipo de jogo que é encaixaria perfeitamente, tanto em encontros de jogador contra jogador, como num modo cooperativo.

Mas apesar de algumas desilusões, gostámos do tempo que passámos com Ion Fury. Foi uma experiência verdadeiramente divertida, mas sobretudo porque também jogámos os clássicos e sabemos apreciar este jogo por aquilo que ele é. Se Duke Nukem não lhe diz nada, então é provável que Ion Fury não seja para si.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Ion FuryIon Fury
Ion Fury
07 Gamereactor Portugal
7 / 10
+
Está a pingar nostalgia por todo o lado. Jogabilidade intensa e divertida.
-
Repete demasiadas frases. Os controlos não são fáceis de dominar.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados

Ion FuryScore

Ion Fury

ANÁLISE. Escrito por Roy Woodhouse

Um novo jogo de ação na primeira pessoa que parece um primo afastado do clássico Duke Nukem 3D.



A carregar o conteúdo seguinte