Português
análises
Horizon: Zero Dawn

Horizon: Zero Dawn - Complete Edition (PC)

A melhor versão da fantástica aventura de Aloy, completa com a expansão The Frozen Wilds.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Horizon: Zero Dawn já era um jogo importante por vários motivos, mas agora ganhou um título muito especial, tornando-se no primeiro jogo dos estúdios PlayStation a ser desenvolvido para PC (outros exclusivos PlayStation já tinham chegado ao PC, mas este é o primeiro produzido verdadeiramente por um estúdio Sony). Existia por isso grande curiosidade para ver como estava a conversão, sobretudo tratando-se de um jogo de tremenda qualidade como é Horizon: Zero Dawn.

Composta pelo jogo base e a expansão The Frozen Wilds, esta Edição Completa de PC chega com uma série de melhoramentos e definições, apresentando um trabalho de conversão de grande qualidade. Os principais destaques são a possibilidade para correr Horizon: Zero Dawn a 60 frames por segundo, em verdadeiro 4K, ou em resoluções ultra-wide, três opções que não eram possíveis nem na PS4 Pro (o jogo corria a 30 frames por segundo, e a resolução nunca chegava a reais 4K).

Como é óbvio, a sua experiência com Horizon: Zero Dawn vai depender do PC que tiver. Testámos o jogo num PC equipado com uma RTX 2060, e conseguimos correr a 60 frames por segundo com a maioria das definições gráficas em Ultra, HDR, e a 1440p. Para jogar a 4k, contudo, tivemos de limitar os frames a 30, apresentando uma fluidez de jogo ao nível da PS4. Com opções para texturas, reflexos, detalhe à distância, limites de frames por segundo, e qualidade volumétrica, a versão PC de Horizon: Zero Dawn oferece boa liberdade para personalizar a sua experiência.

Horizon: Zero Dawn é um jogo com um grafismo fantástico, mas não apenas por causa da sua capacidade técnica. O design das criaturas robóticas, o estilo artístico das várias tribos do jogo, e as paisagens compostas por ruínas engolidas por natureza, demonstram um trabalho de arte fabuloso, exemplarmente convertido para grafismo 3D. É um mundo muito peculiar, que mistura natureza, ficção científica, e estilos tribais, tudo englobado por uma narrativa de grande qualidade.

Horizon: Zero Dawn
Photo: Guerrilla Games

Se não está familiarizado com a história, Horizon: Zero Dawn passa-se num futuro longínquo. O apocalipse veio, a civilização foi destruída, e no seu lugar ficaram criaturas robóticas misteriosas. Os restos da humanidade adaptaram-se a esta nova realidade e formaram várias tribos, com os seus próprios costumes, tradições, mitos, e rituais. O jogador assume o papel de Aloy, uma jovem guerreira que cresceu sem ligação a qualquer tribo, e que ao longo da aventura irá desvendar qual o seu papel por trás de uma memorável história de ficção científica que é bem mais complexa e interessante do que pode parecer à partida.

A história base deve ocupá-lo durante várias horas, mas esta edição inclui também a expansão The Frozen Wilds, que permite a Aloy conhecer melhor uma das fações menos exploradas do jogo base, além de oferecer novas informações acerca da grande narrativa em torno das máquinas e do apocalipse. A expansão inclui também novos inimigos, armas, e localizações, e encaixa como uma luva no panorama geral da aventura.

Quanto à jogabilidade em si, é fantástica, misturando exploração em mundo aberto com ação furtiva e combate. Aloy estará equipada com vários tipos de arcos e munições, uma lança metálica, e uma série de armadilhas, que poderá usar para explorar os pontos fracos das máquinas. Cada criatura tem as suas próprias fraquezas e pontos fortes, e se o jogador não estudar bem as características destas máquinas e agir em conformidade, irá sentir grandes dificuldades para triunfar. Também existem inimigos humanos, incluindo bases para infiltrar. O resto da jogabilidade é composta por objetivos secundários, recolha de recursos, evolução da personagem, e exploração do cenário.

Embora esta versão de PC seja superior à de PS4, algumas das falhas dessa versão permanecem aqui, como as animações faciais algo fracas (não nas cutscenes, mas durante conversas formais). De referir também que, apesar da narrativa ser bastante boa, alguns dos diálogos não são particularmente interessantes, ainda que o trabalho de Ashly Burch como Aloy seja louvável. Ao nível da jogabilidade, gostaríamos de ter visto mais puzzles e secções de plataformas para equilibrar a experiência de jogo geral.

Ainda que não seja perfeito, Horizon: Zero Dawn já era um jogo obrigatório para qualquer utilizador de PS4, e no PC não é diferente, sobretudo se for fã de jogos em mundo aberto, ficção científica, e ação. Com total localização para português, uma história memorável, e uma excelente optimização para PC, Horizon: Zero Dawn - Complete Edition aparece facilmente como um dos grandes lançamentos de 2020 no PC.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
Horizon: Zero DawnHorizon: Zero DawnHorizon: Zero Dawn
Photo: Guerrilla Games
Horizon: Zero Dawn
Photo: Guerrilla Games
Photo: Guerrilla Games
09 Gamereactor Portugal
9 / 10
+
Grafismo fantástico no PC, com muitas definições. Continua a ser uma aventura soberba, com ação, uma história de ficção científica, e uma protagonista memorável.
-
Algumas animações faciais eram fracas no original de PS4, e ainda o são aqui.
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.