Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
análises
Fire Emblem: Three Houses

Fire Emblem: Three Houses

Está na hora de regressarmos à escola com a série Fire Emblem a ensinar-nos alguns truques novos.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

Para muitas pessoas, a Nintendo é vista como uma companhia difícil de mudar, apesar de surgir com algumas ideias mais estranhas de tempos a tempos, ideias essas que conseguem desafiar as nossas expectativas. Por exemplo, é devido à Nintendo, na maior parte, que temos versões diferentes dos mesmos jogos e que esse modelo é tão aceite pelo público, com os jogadores de Pokémon, Yo-kai Watch e Fire Emblem a terem de escolher que versão querem comprar. Isto foi um problema em Fire Emblem Fates, com Birthright e Conquest, lançados na 3DS, a oferecerem a mesma jogabidalide dividida em dois jogos muito diferentes. Fire Emblem Three Houses é a resposta a esse problema ao não dividir o conteúdo, antes pelo contrário, ao uni-lo num só pacote. O novo RPG estratégico da Intelligent Systems é, na verdade, três jogos num só.

Depois de escolherem a vossa facção, vão desfrutar do que é, basicamente, uma introdução de 30 horas às novas mecânicas do jogo e ao mundo vasto de Three Houses, antes dessa decisão inicial entrar em vigor na segunda parte do jogo. Este pode ser um resumo muito simplificado de uma história "anime" muito intrincada e absurda sobre um enorme conflito no continente fictício de Fódlan, mas consegue também descrever a experiência que nos tem mantido presos durante três semanas.

Fire Emblem: Three Houses constrói a sua jogabilidade sobre dois pilares. Por um lado, temos o combate táctico por turnos que decorre em cenários de batalha divididos por pequenas grelhas - algo que tem sido sempre o foco principal da série desde a sua concepção. Dezenas de unidades diferente lutam através de um sistema complexo de pedra-papel-tesoura, iniciando batalhas em campos miniatura com uma visão isométrica. As unidades ganham experiência através do uso constante de habilidades e podem evoluir de diferentes formas. Mais, elementos como a natureza do terreno, a nossa classe e equipamento, ou os bónus passivos dos membros da nossa equipa, são fundamentais em combate.

Em Three Houses, os jogadores vão poder interpretar o papel de professor numa universidade de elite, intitulada Officer's Academy, localizada no mosteiro Garreg Mach. É aqui que vamos preparar os jovens promissores para o seu futuro e, por sua vez, ter um maior impacto no desenvolvimento do continente, mas antes de aprofundarmos esta nova porção do jogo, vamos ver primeiro o que mudou no sistema de combate, que continua a ser o centro da série.

Fire Emblem: Three Houses

Parte do nosso papel na universidade é designar, todos os meses, as tarefas específicas que cada estudante deve completar. Com a excepção das batalhas de história, podemos treinar em combates de treino ou em missões secundárias durante os fins de semana. A jogabilidade mantém-se muito focada na defesa, mas existem personagens capazes de ficarem tão poderosas que conseguem obliterar sozinhos as unidades inimigas. A longo prazo, no entanto, faz muito mais sentido apoiarmos as unidades mais fracas - nem o herói mais poderoso estará preparado para todas as situações.

Um motivo para isto é o jogo em si, que não é completamente honesto com vocês. Apesar de indicar se um ataque acertou ou não, os sistemas por detrás da jogabilidade já decidiram quais são os golpes que irão atingir os inimigos, dar mais dano, etc. Mesmo com a funcionalidade de recuo (que é muito similar ao ataque Turnweel de Mila, de Fire Emblem Echoes: Shadows of Valentia e pode ser usado com uma frequência ridícula), iremos continuar a falhar os ataques que falharam na primeira tentativa. Isto é muito chato - ainda mais porque a ilusão quer passar a ideia que podemos corrigir os nossos erros - mas esta é a natureza de Fire Emblem. Incidentalmente, isto significa que não podem fazer batota e recomeçar sempre que não gostam do desfecho de uma batalha.

Fire Emblem: Three HousesFire Emblem: Three Houses

Depois do primeiro terço do jogo, os monstros são introduzidos no jogo como unidades de combate. Estas criaturas ocupam quatro (ou mais) espaços de uma só vez e têm múltiplas barras de vida. Os seus ataques são devastadores e as mecânicas individuais identificam as suas diferentes poses, mas ao quebrarmos a sua armadura - que é representada por um indicador - a parte correspondente do monstro fica vulnerável e as nossas unidades podem infligir dano significativo. Ataques focados são a chave para a vitória contra estes inimigos monstruosos.

Há outra nova mecânica ligada aos exércitos, e que nós associados às unidades mais experientes. Cada um dos vossos estudantes pode tornar-se no comandante da sua própria unidade, desbloqueando os chamados Gambits. Estes ataques especiais com efeitos adicionais que podem limitar a movimentação dos inimigos, invocar efeitos nos terror, e até provocar os monstros. Se uma besta é atingida por um Gambit, por exemplo, ela pode atacar a personagem responsável durante o próximo turno. São relativamente pequenos ajustes que mal afectam a sensação de jogo, mas, no entanto, a Intelligent Systems foi mais corajosa no segundo pilar do jogo. Está na hora de regressarmos à escola.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade

A vida na universidade rege-se por um programa, um que não podemos moldar livremente. Normalmente, nós treinamos os estudantes de segunda a sábado, supervisionamos as suas missões, e deixamos que trabalhem independentemente em tópicos específicos, como aprender a usar melhor a espada ou a descobrir novos tipos de magia. Estes elementos têm um impacto indirecto na efectividade das nossas unidades durante as batalhas, e através dos estudos intensivos, até um mago pode ser transformado num excelente espadachim. Aliás, isto é muitas vezes necessário mais à frente se querem ter acesso às masterclass mais poderosas.

O domingo pode ser organizado independentemente, e podem decidir se querem continuar a treinar, fazer missões paralelas ou até perder tempo no mosteiro. Ao explorarem a Officer's Academy, podem iniciar actividades secundárias - incluindo pesca, jardinagem e fetch quests - e faz muitas vezes sentido que tomem as refeições com os vossos estudantes para aumentar a sua motivação. Se os estudantes tiveram um mau dia, este pequeno contacto pode melhorar o seu estado de espírito.

Também podemos tirar tempo para nós ao treinarmos com os outros professores de Garreg Mach, até porque podemos apoiar os nossos estudantes se entendermos melhor um maior número de temas. Aos domingos, é possível enviar os estudantes para outras aulas e dar-lhes uma nova perspectiva sobre determinados temas. Ou então podem dormir durante o dia inteiro - os vossos estudantes também vão aproveitar para fazer uma pausa.

Fire Emblem: Three HousesFire Emblem: Three Houses

A nível técnico, Fire Emblem: Three House não é a revelação que estávamos à espera e visualmente, o jogo acaba por desapontar. Os tempos de loading separam a jogabilidade táctica das sequências animada e a rotina escolar, com os fundos desinteressantes e as animações de combate repetitivas a pedirem para serem ignoradas (que, já agora, poupa-vos imenso tempo). Fora das batalhas, Fire Emblem é absolutamente fantástico, mas quando entramos em combate, muito pouco mudou desde Awakening - e estamos a falar de um jogo que saiu em 2012 para a 3DS.

Em Garreg Mach, no entanto, o jogo tem um aspecto impressionante, principalmente porque a academia tem imensos corredores interessantes e zonas para explorar. Infelizmente, a Switch chega ao seu limite nas zonas de exploração livre, causando alguns problemas de performance e de loadings, e isto é ainda mais notório se jogarem no modo portátil.

A vida na universidade é uma evolução lógica para uma série que se manteve relevante, ao longo dos anos, devido ao seu foco nas personagens. Não foi sempre fácil para nós compreender os inúmeros sistemas do jogo, quanto mais construir uma relação com os estudantes, mas isso vem com o tempo e a experiência. A história louca e muito absurda irá apelar aos fãs de anime, especialmente se passarem algum tempo a seguir as narrativas das outras famílias. Se querem conhecer a história completa com todas as suas diferenças, no entanto, terão de fazer três partidas individuais. Isso irá corresponder às 200 horas, tal como tem sido noticiado, mas há uma repetição de acontecimentos considerável que têm de ter em mente. Há uma enorme variedade na segunda parte do jogo, mas é uma pena que os problemas técnicos e de apresentação, e alguma falta de inovação, acabem por prejudicar o que é um jogo verdadeiramente belo.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
09 Gamereactor Portugal
9 / 10
overall score
Esta é a média do GR para este jogo. Qual é a tua nota? A média é obtida através de todas as pontuações diferentes (repetidas não contam) da rede Gamereactor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte