Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.

Português
especiais

E3 2014: Conseguirá a Sony manter-se no topo?

O ano passado foi fantástico para a Sony, mas por vezes o difícil não é chegar ao topo, é continuar por lá.

O Gamereactor está a publicar artigos sobre o que esperamos ver nas conferências das três grandes editoras durante a E3 da próxima Semana. Aqui podem ver o artigo da Nintendo e aqui o da Microsoft.

2013 foi um ano em grande para a Sony (ou pelo menos para o departamento PlayStation). O percurso da PS3 foi atribulado e recheado de erros, mas parece que aprenderam a lição. A espaços chegaram a parecer arrogantes, possivelmente embriagados com o sucesso da PS2, e isso custou-lhes a última geração, atrás de Wii e Xbox 360.

Não que a PS3 tenha sido um fracasso total, ou uma má consola, mas perderam uma excelente oportunidade de continuarem a dominar o mercado (a nível mundial, porque em Portugal esse domínio continua sem ser colocado à prova). Para a PS4 a Sony arregaçou as mangas e fez tudo para corrigir a postura e os erros do passado e isso está a dar excelente frutos. O grande sucesso da consola não se deve apenas ao bom trabalho da Sony. Aliás, para muitos os principais impulsionadores da PS4 foram mesmo a Microsoft e a Nintendo e as respetivas decisões questionáveis.

Durante a conferência de 2013, Andrew House da Sony falou para uma multidão em delírio, disferindo um KO na Microsoft e nos seus planos originais para a Xbox One, de tal forma que a Microsoft, poucos dias depois, foi obrigada a mudar muitas medidas. E tudo porque se limitaram a manter a mesma estrutura que já tinham apresentado com a PS3, sobretudo em relação ao DRM e ao mercado em segunda mão. Ainda para mais a consola era 100 euros mais barata, foi lançada em mais países e não vinha atrelada a uma câmara.

Entretanto passou-se um ano e a Microsoft não terá certamente vontade de passar pelo mesmo. A Sony tem conseguido alimentar a PlayStation 4 com uma série de títulos Indie, uma atitude muito apreciada por jogadores e produtores, mas só isso não vai chegar a partir de agora. A Xbox One tem mais AAA exclusivos e prepara-se para apresentar muitos mais na E3 e a Sony não pode combater isso só com Indies. Afinal de contas, muitos são jogos fantásticos, mas podiam facilmente serem jogados na PS3 ou até na Vita. Não foi para isso que os jogadores investiram numa PS4.

E3 2014: Conseguirá a Sony manter-se no topo?

Apesar do que alguns parecem acreditar, PS4 e Xbox One têm recebido uma vasta gama de jogos desde os lançamentos em novembro, mais do que provavelmente qualquer outra consola no mesmo período de tempo. Existem novos anúncios todos os meses e lançamentos todas as semanas, tanto de títulos independentes, como dos chamados AAA. Mas o que tem faltado, sobretudo à PS4, é uma gama rica de exclusivos, algo que foi um dos pontos fortes da PS3. Não sabemos o que a Sony vai anunciar na E3, mas é aqui que Nintendo e Microsoft podem superar a Sony.

A PS4 tem navegado a grande velocidade em termos de vendas e não nos parece que o vento deixe de soprar nessas velas para breve. Mas não há só a PS4. A Sony tem também de mostrar que a PS Vita ainda pode oferecer algo ao mercado portátil. Ainda assim, o foco da conferência será certamente a nova consola.

Apesar do adiamento recente para 2015, The Order: 1886 deve marcar uma presença forte na conferência. Destiny, que tem sido mais associado à PS4, também deve fazer-se notar em palco, tal como no ano passado. Quanto ao que vem aí para o outono, Driveclub é possivelmente a aposta mais forte para a consola no que toca a exclusivos, por isso também deve ter direito a algum tempo de antena. A Ubisoft também deve apresentar conteúdos exclusivos para os seus jogos nas consolas PlayStation, à semelhança de Assassin's Creed no passado e mais recentemente, Watch Dogs.

E3 2014: Conseguirá a Sony manter-se no topo?

A Sony irá provavelmente contar com um apoio mais forte oriundo do Japão que a Microsoft. A Square Enix já anunciou que Kingdom Hearts III e Final Fantasy XV não não estar na E3, mas não ficaríamos surpreendidos se surgissem na forma de trailers durante a conferência. O novo jogo de Suda51, Lily Bergamo, também é um candidato a aparecer. Quanto a Indies, devem surgir vários em trailers conjuntos.

As estrelas da conferência serão possivelmente Uncharted 4 e o próximo God of War. Nenhum é uma presença garantida, mas são prováveis. Considerando a reação positiva ao anúncio da versão PS4 de The Last of Us, não nos surpreendíamos se a Sony anuncia-se a conversão de mais uns quantos exclusivos PS3, como Gran Turismo 6 e Beyond: Two Souls (mais provável o primeiro que o segundo). O novo Shadow of the Beast é também uma forte hipótese.

A Media Molecule já anunciou que não vai estar na E3, mas corre o rumor nos bastidores da indústria que Los Angeles pode trazer novidades de algo relacionado com LittleBigPlanet. Quanto a Last Guardian, será a altura ideal para o mostrar e confirmar a passagem de produção para a PS4. Seria um terrível sinal se o jogo da Team Ico continuasse ausente do grande palco. Quanto à Quantic Dream... é um mistério. Será que vão estar presentes? Vamos ver uma nova demo técnica do seu motor? Ou um anúncio de um jogo?

Mas a conferência não será só sobre jogos. O serviço cloud, PlayStation Now, e o capacete de realidade virtual, Project Morpheus, vão muito provavelmente conhecer desenvolvimentos. Será que vamos conhecer as respetivas data de lançamentos, preços e modelos de negócio? É uma possibilidade. Mas isto terá de ser acompanhado por jogos que mostrem o potencial de ambos.

Na nossa opinião, o problema da PS4 neste momento é "músculo", que necessita urgentemente de ganhar na forma de grandes exclusivos. Nós sabemos que eles vêm aí, mas dificilmente chegarão antes de 2015 e isso pode fazer mossa na PS4. Vamos ver por isso o que nos traz a E3.

E3 2014: Conseguirá a Sony manter-se no topo?


A carregar o conteúdo seguinte