Português
especiais
The Elder Scrolls Online: Greymoor

De Regresso a Skyrim em The Elder Scrolls Online: Greymoor

O diretor criativo do jogo revelou ao Gamereactor o que podemos esperar do próximo capítulo do MMORPG.

The Elder Scrolls Online: Greymoor

A Bethesda já tinha confirmado que os jogadores iriam regressar a Skyrim no próximo capítulo de The Elder Scrolls Online, mas durante a semana revelaram finalmente os detalhes desse regresso. Além de ter realizado uma transmissão para todo o mundo ver, a Bethesda convidou-nos para os seus escritórios, não só para vermos as novidades, mas também para conversamos com Rich Lambert, diretor criativo do jogo.

"A Temporada do Dragão foi um grande sucesso para nós durante o ano passado. Os jogadores gostaram particularmente da história que decorreu ao longo do ano, e com as quatro grandes atualização estiveram todas ligadas entre si para formarem uma narrativa coesa."

Isto significa que a Bethesda vai seguir o mesmo formato para Greymoor, repartindo a narrativa por quatro capítulos lançados ao longo do ano. O destino? Um dos favoritos dos fãs de The Elder Scrolls, Skyrim, ou melhor, a região ocidental de Skyrim e uma enorme rede de cavernas chamada Greymoor. Antes da aventura propriamente dita, que terá de ser comprada, será lançado um prelúdio gratuito para todos os jogadores, e depois disso, uma narrativa expansiva, um desafio para 12 jogadores chamado Kyne's Aegis, uma série de eventos dinâmicos no mundo que serão chamados de Harrowstorms, e um sistema de antiquidades para os jogadores tentarem encontrar. Como recompensa irão conhecer melhor o passado de Tamriel e ganhar itens valiosos.

The Elder Scrolls V: Skyrim é o jogo mais popular da saga, pelo que é possível que conheça o ambiente e o design desta terra nórdica, mas não espere encontrar as mesmas personagens. Greymoor passa-se cerca de 900 antes dos eventos de Skyrim, o que significa que o estúdio teve liberdade quase total para abordar a região, as personagens, e a história. E que história. Como referimos, será sombria, e isso implica a presença de lobisomens, bruxas, e vampiros, tal como no Skyrim original. A Bethesda aponta para uma campanha a rondar as 30 horas de jogos, com muitas mais disponíveis na forma de missões secundárias e conteúdo opcional.

Mas estávamos curiosos. Os produtores de The Elder Scrolls Online evitaram Skyrim ao longo de todos estes anos, preferindo visitar outras regiões de Tamriel, e isso impôs a questão: porquê Skyrim e porquê agora?

Segundo Lambert, o processo para a escolha de cada capítulo é bastante complexo. "Começamos por olhar para as áreas que já visitámos e o tipo de histórias que já contámos. Depois disso começamos a pensar no tipo de sensação que queremos transmitir ao jogador enquanto explorar - gostamos que as nossas áreas se distingam entre si, e que apresentem vários tipos de biomas." Seguindo esta lógica, a Bethesda considerou que Skyrim seria uma excelente continuação de Elsweyr, por serem opostos totais - do deserto vai passar para a neve e dos Khajiit vai passar para os Nord.

The Elder Scrolls Online: Greymoor

O produtor deixou bem claro que, embora seja uma região familiar e adorada pelos fãs, o objetivo passa por contar uma histórias completamente diferente, e oferecer um 'feeling' único. "Não queremos repetir The Elder Scrolls V", garantiu-nos, mas sem apresentar ao jogador uma região completamente estranha. Irá revisitar alguns locais de The Elder Scrolls V, como Solitude, Morthal, e Dragon Bridge, entre outros, mas com várias diferenças, a começar como já referimos pelos quase mil anos que separam os dois.

Com a quantidade de regiões que a Bethesda já lançou para The Elder Scrolls Online, a verdade é que o continente de Tamriel começa a ficar muito bem representado no jogo. Segundo Lambert, estão "lentamente a trabalhar nesse sentido", o de refazer Tamriel inteiro em The Elder Scrolls Online. Dito isto, ainda faltam várias regiões, além das múltiplas dimensões de Oblivion. Ou seja, ainda falta muito para a equipa explorar em termos de conteúdo.

Cumprir esse objetivo, o de recriar Tamriel por inteiro, só será possível se o jogo se manter ativo durante vários anos, e isso só acontecerá se estiver em boa forma. Lambert disse-nos que The Elder Scrolls Online "está num sítio muito bom" neste momento, e que "a comunidade nunca esteve tão forte e continua a crescer, o que é notável para um jogo com quase seis anos."

A Bethesda assegurou-nos que não têm qualquer intenção de abrandar em termos de apoio e lançamento de conteúdo, e que ainda têm grandes planos para cumprir. Mas antes disso, Greymoor, que arranca a 18 de maio no PC e a 2 de junho nas consolas.

A assistir

Preview 10s
Next 10s
Publicidade
The Elder Scrolls Online: Greymoor

Textos relacionados



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.