Português
Gamereactor
antevisões
Alienation

Alienation

Muitas explosões e ação no novo jogo dos criadores de Resogun.

O simples facto de estar a ser produzido pela Housemarque, a talentosa equipa que nos trouxe Super Stardust, Dead Nation e Resogun, foi suficiente para colocar este Alienation nos nossos radares, mas não estávamos particularmente entusiasmados com a ideia do jogo. Essa situação mudou, e depois de termos experimentado Alienation num evento da Sony em Londres, estamos agora muito mais convencidos sobre a ambição e a capacidade de realização do projeto.

Podemos resumir Alienation rapidamente da seguinte forma: extraterrestes atacam, e devem ser exterminados com armas enormes e explosões ainda maiores, num jogo que privilegia a longevidade e a repetição. É um conceito simples, mas Alienation tem um aspeto impressionante, com efeitos que quase saltam do monitor. Assistimos a tempestades de electricidade, acompanhadas por chamas incandescentes e laseres a voar por todo o lado, tudo num cenário devastado, mas detalhado. Esta secção de jogo que nos permitiram experienciar foi claramente construída com grande cuidado.

Trata-se de um jogo de ação dentro do estilo que muitos apelidam de "Twin Stick", normalmente utilizado para jogos que funcionam com uma perspetiva isométrica onde apontam a direção da arma com o analógico direito. Visualmente é um dos jogos mais impressionantes que vimos dentro desde género, mesmo quanto o limite máximo de quatro jogadores é atingido. Alguns alienígenas atacam a partir de todas as direções, aglomerando-se junto do jogador com velocidade, enquanto outros preferem atacar com o conforto da distância. E se acharem que não são desafio que chegue, também terão de enfrentar alguns adversários maiores que vos vão obrigar a suar.

Quando Alienation chegar em definitivo à PlayStation 4, terá três classes disponíveis para o jogador experimentar. O Exo-Skeleton funciona como tanque, servindo o propósito de aguentar a maior parte do dano, mas também podem controlar o Saboteur e o Bioengineer. Cada classe tem liberdade para agarrar as armas largadas pelos inimigos, e parece existir uma dose confortável de espólios para todos os jogadores recolherem. Começamos a nossa sessão de jogo com uma espingarda, que juntamente com o ataque físico de curta distância, nos pareceu eficaz para lidarmos com os inimigos mais banais. Para as ameaças maiores reservámos um lança-mísseis, com grande capacidade para causar dano. Eventualmente até achámos uma espécie de boomerangue que permitiu criar algumas situações curiosas. Cada personagem também tem acesso a habilidades especiais que são limitadas por um temporizador, impedindo o seu uso contínuo e forçado uma utilização mais ponderada. Neste caso, a habilidade mais impressionante foi a capacidade para invocar um ataque aéreo, capaz de destruir grandes grupos de inimigos.

Esta pequena sessão com Alienation só permitiu ter uma curta amostra do tipo de opções táticas que estarão ao serviço dos jogadores, mas o jogo parece ter claramente muita carne nos seus ossos para roerem. A Housermarque pretende dar grande longevidade e capacidade de repetição ao jogo, um objetivo que poderá ser reforçado após o lançamento. Não temos confirmação oficial, mas se nos permitem especular um pouco, parece-nos o tipo de jogo que será atualizado frequentemente com novos cenários e personagens.

Os jogadores terão a hipótese de percorrer cinco áreas de jogo enormes, que beneficiam de uma colocação aleatória de inimigos e bosses no mapa, com habilidades também elas determinadas de forma dinâmica. Cada personagem pode ser evoluída com o tempo, e se preferirem melhorar resultados, podem repetir as missões anteriores. Ainda é cedo para determinar a qualidade da geração aleatória dos mapas, que se não obedecer a um conjunto específico de regras, pode resultar numa criação de mapas medíocres, mas não temos razões para crer que não serão de qualidade.

Mesmo que todo o conteúdo gerado aleatoriamente seja magnífico, de pouco irá servir se a jogabilidade não estiver à altura. Felizmente, a julgar pelos instantes que passámos na sua companhia, Alienation terá uma qualidade de jogo digna dos criadores de Resogun. O ecrã está sempre composto com inimigos que servem como carne para canhão, encantadores na forma como os seus corpos reagem às ações através de um motor de física muito competente. Gostámos particularmente das animações causadas em tempo real pelas várias explosões que encheram o ecrã de cores.

A julgar por este impacto inicial, Alienation parece ser uma excelente adição ao género, beneficiando de um espetáculo visual de efeitos e cores que criam uma imagem difícil de esquecer. Mais importante ainda, o jogo parece ter claramente pernas para andar além do impacto inicial. Há quem lhe chame "Diablo III com armas," e embora não seja uma comparação realmente exata, o que vimos foi suficiente para ganhar a nossa atenção.

AlienationAlienationAlienation
AlienationAlienationAlienation

Textos relacionados

Alienation

Alienation

ANTEVISÃO. Escrito por Mike Holmes

Muitas explosões e ação no novo jogo dos criadores de Resogun.

Alienation

Alienation

ANTEVISÃO. Escrito por Gillen McAllister

Dos criadores de Resogun chega um jogo de ação com muito potencial



A carregar o conteúdo seguinte


Cookie

O Gamereactor utiliza cookies para assegurar que lhe proporciona a melhor experiência possível no nosso site. Se continuar, vamos presumir que está satisfeito com a nossa política relativa a cookies.